Terceirizamos nosso Futuro?

Há dias venho relutando em escrever sobre o tema pois entendo que esta é a minha opinião pessoal e talvez a grande maioria dos brasileiros não compactue com ela ou talvez nem tenha parado para pensar nisso. O fato que eu percebo é que nossa sociedade como um todo desenvolveu uma espécie de terceirização da própria vida e consequentemente do próprio futuro. Isso mesmo, o que mais ouço são pessoas afirmando que estão passando inconscientemente as suas responsabilidades mais simples para terceiros, talvez por falta de preparo ou talvez com medo deste encargo.

Explico meu posicionamento citando como exemplo as crianças. Ao meu ver, elas devem chegar a idade escolar disciplinadas a obedecer a hierarquia que teoricamente existe dentro das escolas. Lá dentro, como em qualquer lugar da sociedade existem regras, e estas devem ser cumpridas sob pena de advertências ou até mesmo punições. Mas, o que se vê é o contrário. Parte destas crianças chegam nas escolas sem limites, sem saber o que é hierarquia, sem respeitar a figura do professor. Então os casos de alunos que agridem seus mestres pipocam Brasil afora. Ao meu ver, os pais esperaram até a idade escolar para terceirizar a educação dos filhos sem dar base alguma para tanto. E o que é pior, na grande maioria dos casos, quando acontece um fato desdes, os pais se posicionam em favor dos filhos. Há que se ponderar que dificilmente alguém se dispõem a ser professor para perseguir ou maltratar crianças, levando-se em consideração a atual remuneração que percebem atualmente. mas é mais fácil aos pais terceirizarem a culpa pela falta de educação dos filhos.

Mas retorno um pouco mais. Lembro-me das minhas refeições em família quando criança, momento em que nós, eu, mais meus três irmãos aguardávamos nossos pais se servirem, os convidados se servirem para somente então colocar em nossos pratos o que efetivamente iríamos comer, sem ser pouco e com certeza, sem sobras. Crianças não eram as donas das mesas de refeições como vejo hoje em dia. Sei que muitos irão dizer que os tempos são outros e que hoje tudo é diferente. Concordo plenamente com tudo isso, mas educação e disciplina se passa de geração para geração. As refeições tranquilas dos pais foram terceirizadas para a TV e para os tablets e os pais são reféns do que os filhos querem fazer na hora de comer.

Pois bem, pulando dos adolescentes e das crianças diretamente para os adultos digo que terceirizamos tudo, ou praticamente quase tudo. Quando a saúde vai mal terceirizamos a culpa para a falta de atendimento digno, a falta de remédios, a falta de médicos e por aí vai. Seria excelente adquirirmos bons hábitos alimentares e de atividades físicas e terceirizar menos a nossa saúde. Sei que tem casos que isso é impossível, mas a prevenção ajuda, e muito. Quando as finanças vão mal terceirizamos a culpa na economia, no governo, nos políticos e mais uma série de fatores. Bem, faz tempo que não acredito mais que o sistema público de nosso país funcione de maneira digna a nos dar o amparo que merecemos em contrapartida aos tributos que pagamos. Assim, apesar desta terceirização ser inevitável, podemos pelo menos ter um plano B e fazer algo para não depender somente do que o Estado deve nos proporcionar.

Mas o que vejo é a completa terceirização de responsabilidades, seja por comodidade, seja por preguiça, seja por despreparo. Aí vem o questionamento: Diante da atual situação, vale a pena manter a terceirização de nosso futuro?

http://www.edsonluiz.adv.br

Anúncios